sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Das opções

É chato. Diria até que é o mais chato de tudo. Não gosto de optar. Implica sempre renúncia. Implica sempre risco. E eu não gosto de arriscar.
Optar é uma amputação de alguma parte da vida. Da minha vida, caraças! Na verdade, eu gostava era de ficar com tudo. Mesmo que esse tudo acarretasse também algumas partes más. Mas não dá. A sério que não. Tinham-me avisado, mas eu não quis saber. Tentei (alucinada!) mas não deu.
A toda a hora, a cada instante, aparece a opção. Intempestiva, arrogante,implacável. Estúpida! "Ou queres ou não queres! Decide! Opta! Arrisca!." E se eu cair? E se no passo seguinte me faltar o chão? E se doer?... E continua o jogo de escondidas...o "vê lá se adivinhas..."
Não...não quero seguir instintos nem ouvir o coração...Oh! Isso é tão vago!...e tão cansativo... Eu queria era por alguns instantes, poder não decidir. Só para saber como é dar descanso ao coração e ao instinto. Só para seguir por ali porque sim. Só porque sim sem nada mais.

5 comentários:

Joana disse...

Como te percebo Fabi...

Fabi disse...

Ainda bem...

Briseis disse...

Já somos três, então... Eu, na tomada de decisões, sou um zero. Vou por ali, mas fico a olhar por cima do ombro para acolá, a questionar se terá sido a escolha certa. É por isso que não quero ter mais do que 2 pares de sapatilhas: umas claras e umas escuras, porque se tiver mais do que isso, vou demorar mais tempo a sair de casa... =)

Fabi disse...

O problema Briseis, é quando se adora sapatos...aí lá estás tu a ter de optar entre chegares atrasada ou teres apenas dois pares...não há por onde escapar!

Joana disse...

Ahah. Como eu percebo a Briseis. Já tive sapatilhas de todas as cores, agora optei por esse sistema. xD