quinta-feira, 30 de abril de 2009

Shiiiuu!!! Tenho um segredo!

Hoje o dia foi daqueles bons (tirando o facto de andar a morrer de sono porque há bastante tempo que durmo mal). Só faltou uma coisinha para ser quase perfeito.

Mas como é segredo não vou contar ...=)
Pronto ok...eu dou uma pista... Tem seis letras.
E mais não digo.

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Jardins e desertos

Vivo a minha vida com paixão. Uma paixão que tanto me leva ao extremo da alegria como ao extremo do desalento. E não sei viver de outra maneira. Quero lá saber que pensem que sou pouco objectiva...não sei viver de outra maneira. Sempre fui assim porque não acredito numa vida morna à margem daquilo que me faz sorrir mas também à margem do sacrifício e daquilo que me custa e me faz chorar. Sou um puzzle inacabado com peças de várias cores. E é assim que faz sentido. Só assim. Hoje, depois de um tempo morno e aborrecido, começou a chover no meu deserto que se fez jardim e comecei de novo a sentir-me apaixonada pela minha vida. Hoje sei que a minha paixão é pelos jardins...e pelos desertos também.


"Para alguns, é necessário estar desapaixonado para poder ser objectivo. Para mim, só os apaixonados chegam a captar a verdade profunda. Há verdades que se ocultam aos olhos de quem não ama(...)o amor dá incisividade, agudez e penetração ao nosso olhar para descobrir debaixo de um deserto estéril as veias de água oculta que podem convertê-lo em um jardim(...)"

Juan Manuel Martin Moreno

sábado, 25 de abril de 2009

Os sonhos que mudam rumos

Dia 25 de Abril de 1974? Foi um dia igualzinho a todos os outros. Excepto num pormenor...nesse dia, algumas pessoas sonharam. E acreditaram nos seus sonhos.
E um país pequenino tornou-se tão grande!... E o rumo desse país foi mudado. Só isso.
E é por causa de histórias bonitas como esta que eu acredito que a luta pelos sonhos é a arma dos valentes.
O dia de amanhã pode ser igualzinho a todos os outros. E ponto final.
Ou se quisermos, terá um pequeno pormenor...que poderá mudar totalmente o rumo da nossa vida.


E a Liberdade de sonhar...não é acessível a nenhuma tirania.

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Poema de mim...para mim.

Se ao olhar para o meu céu
Não vislumbrar o meu chão,
Se ficar indiferente
À voz do meu coração...
Se ao tropeçar na injustiça
Não gritar enfurecida
Até já não ter mais voz...
Se ao decidir pelo "eu"
Me esquecer que existe o "nós"...
Se não sentir com certeza
Que um abraço verdadeiro
É o rosto mais fiel
Da verdadeira grandeza...
Se aquilo que me estremece
Me já não fizer chorar
E aquilo que me indigna
Me fizer paralisar...
Se eu deixar de entender
Que tudo o que hoje me dói
É parte da poesia
E da luz que me constrói...
Se trocar o que acredito
Por aquilo que lá fora
Dizem ser "o mais bonito"...
Então eu não serei mais
Que uma vaga sombra triste
Daquilo que fui um dia,
Do que hoje em mim existe.
Fabi

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Cuidado. Pessoas em construção.

Antes de agires pensa bem no que fazes. Há por aí pessoas em construção.


Sol


O sol de Portugal é hiper luminoso. E é do melhor que tem este país. Sabe tão bem acordar de manhã e ver um céu azul (sem fumo) cheio de uma luminosidade quase excêtrica! E agora no início da Primavera ele começa a ficar quentinho e tudo parece ganhar uma vida diferente. Apetece ficar horas a fio a ler um bom livro ou a conversar numa esplanada até ficar com a cara vermelha (a mim acontece-me porque sou branquela). O sol da Primavera de Portugal faz-me sentir orgulho de morar por aqui.

Este texto não serve para nada...aviso já

Ok...é verdade que ultimamente ando egocêntrica e tenho falado bastante de mim...mas enfim...se não gostares deste tipo de coisas então aviso-te já que este texto é exactamente sobre mim...por isso caso não gostes...não continues.


Ando a tentar descobrir-me...de vez em quando tenho crises existenciais e isso provoca reacções um bocado fora do meu controlo. Começo a pensar muito (mais ainda do que é normal) e acabo sempre a chorar. Hoje tive uma dessas crises... "Oh...isso é por estares em casa sem nada para fazer...começa a trabalhar e vais ver que isso passa." Talvez. O que é certo, é que hoje cheguei à conclusão que o meu problema é de facto...bom...ainda não sei qual é o meu problema. Mas é mesmo verdade que hoje chorei. "Oh Fabi...achas que é necessário escreveres isto para toda a gente ver?"Não. Mas apeteceu-me porque isto é o MEU blogue e portanto escrevo o que me apetece e hoje particularmente apetece-me escrever que hoje CHOREI. E sabes que mais(tu que continuaste a ler esta porcaria até aqui)? Chorar faz muito bem de vez em quando. E pelo menos já descobri uma coisa sobre mim...sou efectivamente chorona...mas isso eu já sabia. E pronto...o mal destes textos sem pés nem cabeça é nem sequer se saber muito bem como terminá-los. Por isso olha...adeus e quando te apetecer chorar...chora.

terça-feira, 21 de abril de 2009

O que é bonito?

"O que é bonito
É o que persegue o infinito
Mas eu não sou
Eu não sou, não...
Eu gosto é do inacabado
O imperfeito, o estragado que dançou
O que dançou...
Eu quero mais erosão
Menos granito
Namorar o zero e o não
Escrever tudo o que desprezo
E desprezar tudo o que acredito
Eu não quero a gravação, não
Eu quero o grito
Que a gente vai, a gente vai
E fica a obra
Mas eu persigo o que falta
Não o que sobra
Eu quero tudo
Que dá e passa
Quero tudo que se despe
Se despede e despedaça
O que é bonito..."

Lenine

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Convicções da Fabi acerca do Amor

O "Amor à primeira vista" é possível? Claro que não.
A paixão acaba com o tempo? Não necessáriamente.
Pode amar-se duas vezes da mesma forma?Obviamente que não.
Existe uma pessoa perfeita para nós?Não.
Existe uma pessoa certa para nós?Sim.
É possível ser fiel? Claro que é.
Os homens são todos infiéis, egoístas e insensíveis?A Fabi sem paciência diz que sim...a Fabi consciente tem uma sólida e profunda esperança que não.
A distância pode destruir uma relação?Sim.
A distância pode destruir o Amor?Não.
O segredo de ser feliz com quem amamos?O respeito. E a paciência. (Mútuos é claro).
Existe o amor para a vida toda? Sim.

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Porque às vezes fazemos coisas porque tem que ser, e porque vezes demais o que tem que ser tem mais força que a força que há em nós...a homenagem hoje vai para todos vocês cuja fraqueza é mais forte que tudo aquilo que não é necessáriamente o que tem que ser...mas é. A homenagem vai por isso, também para mim.
Boa Fabi.

terça-feira, 14 de abril de 2009

Flores...e chocolate (rectificações)

Rectificação 1 - Eu sou efectivamente arquitecta de um mundo diferente.

Rectificação 2 - Para alguns tipos de insensibilidade não há flores que valham.

Rectificação 3 - Para alguns tipos de azedume não há chocolates que valham.

Tenho dito.

Flores...e chocolate!


Hoje tenho uma tulipa vermelha em cima da minha secretária. E é tão linda que me apeteceu escrever sobre a paixão que tenho por flores...tulipas principalmente. Se eu pudesse ser arquitecta de um mundo diferente, pensaria num projecto que incluísse mais jardins com mais flores (tulipas se pudesse ser).

Ah...e já agora...mais lugares que vendessem ou até dessem chocolates! Talvez muita gente que anda por aí, ficasse mais sensível...e menos azeda.

segunda-feira, 13 de abril de 2009

Raiva


A raiva pode ser um sentimento péssimo se nos deixarmos dominar por ele.

A raiva pode ser um sentimento óptimo se conseguirmos ultrapassá-lo sem deixar que nos esmague. E é abolutamente indispensável para aprendermos a defender-nos de tudo o que não presta. A raiva é humana como é humano o amor.

Para a "minha raiva" de hoje...a minha homenagem.

I can see

"A fusão de géneros e tendências na procura de uma linguagem musical comum na cena de dança mundial é o significado de música no dicionário dos Jazzanova. Este colectivo de Berlim, é formado por um trio de DJs, Jürgen von Knoblauch, Alexander Barck e Claas Brieler, para além dos produtores Stefan Leisering e Axel Reinemer (a.k.a Extended Spirit) e Roskoe Kretschmann (a.k.a Kosma)(...) A música dos Jazzanova passa pelo jazz, drum’ n’ bass ou funk com a mesma naturalidade com que absorve as vibrações das sonoridades latino-americanas. O trabalho feito pelo colectivo germânico tem passado essencialmente pelas remisturas de uma lista infindável de
grupos, também ela reflexo do ecletismo dos Jazzanova(...)" http://www.lastfm.com.br/music/Jazzanova/+wiki
O resultado é este




Brilhante.

sábado, 11 de abril de 2009

O meu momento

É Sexta-feira de Páscoa...há por aí bastante gente. Saí para encontrar alguns amigos mas voltei cedo para casa. Estou agora debaixo do meu edredon branco salpicado de flores coloridas e percebo que é exactamente aqui que me apetece estar. Não me apetece falar muito, nem ver muita gente, nem ficar num bar cheio de fumo com música aos berros. Nem me apetece dançar...nem mexer. E o mais estranho...é que nem sequer estou deprimida! Só me apetece ficar assim...no quentinho do meu edredon a falar comigo mesma.
E sabe tão bem, que hoje, não trocaria este momento por nada.

sexta-feira, 10 de abril de 2009

O homem que incomodava


Era uma vez um jovem aparentemente normal. Aprendeu a ser carpinteiro com o pai. Era filho único (e por isso, imagino que os pais o protegessem mais do que é normal). Um dia, decidiu revolucionar o mundo. E começou a falar de amor e de perdão numa época em que, aos que erravam aos olhos da sociedade, eram aplicadas penas sem ponta de humanidade. Enfrentava com rebeldia e inteligência leis milenares e "poderosos" supostamente inatingíveis. Era amigo de gente improvável que a sociedade excluía e falava com desassombro de um mundo novo cheio de amor. Não tinha casa certa porque decidiu andar por aí a anunciar a Sua verdade com uma coragem desconcertante. As Suas palavras eram loucas...falava de "perdoar não sete vezes...mas setenta vezes sete",de "amar os outros como as nós próprios", de "que Deus é muito bom" (e não um tirano castigador como todos achavam), desafiou aqueles que se achavam no direito de apedrejar quem errava a "atirar a primeira pedra" e os mais ricos a "dividirem o que possuíam" com os mais pobres...Por todas estas coisas e muitas outras Jesus tornou-se no homem que incomodava. Por todas estas coisas, Ele teve o fim que (quase) todos os que deixam marcas profundas no mundo tiveram. Mas o final da história está longe de ser triste...a Sua mensagem de amor atravessou fronteiras físicas e temporais como nenhuma outra. E o Seu testemunho de vida fez com que aqueles que não acreditam na divindade de Jesus, não possam jamais negar a grandeza da sua humanidade

quinta-feira, 9 de abril de 2009

Maria D'Antuono

É este o nome da senhora de 98 anos que foi resgatada com vida das ruínas deixadas pelo sismo que abalou Áquila. Ao ser entrevistada apresentava uma serenidade desconcertante e disse como se fosse a coisa mais natural do mundo que passou as trinta horas que esteve soterrada... a tricotar! Disse também em jeito de brincadeira que estava despenteada.
Este episódio fez-me pensar na forma como as pessoas encaram a vida e a morte. Esta senhora de cabelo branco deixou-me a sensação que estava tão em paz com a sua vida que não poderia encarar a morte de uma forma que, para ela, não fosse tão natural como tricotar! E a morte pensou: "assim não tem graça" e foi-se embora.
Quantas vezes morremos devagarinho porque não conseguimos encarar as coisas menos boas com a mesma naturalidade com que a Maria na sabedoria dos seus 98 anos encarou as suas ruínas?

Reencontrar(-se)

Há vários tipos de pessoas importantes.

Há aquelas que cruzam o nosso caminho de uma forma muito rápida. Sabemos que vão, tal como nós, para algum lugar e que por milagre (não acredito em coicidências) surgem em algum momento que precisamos. A chegada dessas pessoas é sempre essencial ainda que dure apenas alguns instantes.

Há as pessoas que cruzam o nosso caminho e acabam por segui-lo ao nosso lado. São os nossos companheiros de viagem. Tornam-se parte de nós e nós tornamo-nos parte delas.

Há as pessoas que permanecem ao nosso lado durante muitos anos mas que, por razões que nos transcendem acabam por seguir outro caminho muito distante do nosso. Deixam marcas em nós mas os nossos rumos são opostos e por isso nunca mais se cruzarão.

E há aquelas pessoas que durante muito tempo caminham connosco, seguem depois outro chão e quando julgamos que nos perdemos...elas reaparecem algumas encruzilhadas mais à frente. Essas pessoas são espelhos para nós. Percebemos que estamos diferentes, com mais cicatrizes, mais cansados do caminho, mas que afinal o tempo não tem o poder de alterar o material a partir do qual foi construída a nossa base. Reencontrar alguém especial é muito mais do que voltar a ter na nossa vida uma pessoa que julgávamos perdida...é sobretudo o reencontro com o que julgávamos perdido dentro de nós.

terça-feira, 7 de abril de 2009

Quando o amor é o fim...

video

...que importam os meios? =)

domingo, 5 de abril de 2009

Só para dizer...

...que o Rodrigo vai ter um irmão! A Maria Rita terá que ser chamada de outro nome mais apropriado à situação...é que a menina que todos esperavam...afinal é menino. Ok...que bom na mesma! Adoro coisas inesperadas! Bem vindo à barriga da mamã Celina. Aguardaremos ansiosíssimos a tua chegada!

sábado, 4 de abril de 2009

Filhos...únicos


Se és filho único e quando eras criança a tua mãe vestia-te como se tivesses acabado de sair de uma caixinha daquelas de cartão colorido com um laçarote na tampa; se as tuas tias te apertavam as bochechas de cada vez que te viam; se ouviste inúmeras vezes aquele comentário maravilhoso que diz que "os filhos únicos são todos malucos"; se foste ao pediatra até aos treze anos e só deixaste de ir porque gritaste muito a reindivicar o direito à tua adolescência; se a tua mãe não dormiu nas primeiras dez vezes que saíste à noite; se depois de cresceres e saíres de casa para ires estudar os teus pais te ligavam mais de duas vezes por dia e ficavam irritadíssimos quando não atendias o telemóvel; se consideravam ameaçador qualquer pessoa estranha que se aproximasse de ti (em especial as do sexo oposto); se quando te queixavas de dor de garganta ficavam muito aflitos e queriam levar-te à urgência; em suma, se no geral, eles não conseguem entender que tu és efectivamente...tu próprio (e não eles) não desesperes! De único...não tens (quase) nada.
Bem vindo à caixinha de cartão colorida com um laçarote na tampa.

quinta-feira, 2 de abril de 2009

Sinais na palma da mão

A Carol é esposa do meu primo Neto. Mora em São Paulo e conheci-a quando fui para lá estagiar. Ao rever pela milésima quarta vez as fotos, vi uma que me fez sorrir com carinho e com saudade:


A mão direita da Carol e a minha mão direita. Um sinal igualzinho no mesmo lugar. Aqui está uma coisa meio pateta...mas que me deixou a pensar como o nosso mundo é pequenino...e como é bom que ele seja pequenino.

Adoro coisas que não se conseguem explicar.

Adoro a Carol.

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Em dia das mentiras...

Mentiroso é aquele que se nega...e que se despe de si próprio e veste o disfarce mais bonito aos olhos do mundo. É aquele que se envergonha do seu passado esquecendo que foi esse passado que o construíu. Mentiroso é aquele que aponta milhões de defeitos aos outros mas que não quer assumir o chão de que é feito. É aquele que torna negra a vida de alguém por não querer ver que a sua própria vida está pintada de negro. Mentiroso é aquele que faz muito barulho para conseguir calar os barulhos que tem dentro de si próprio. É aquele que quer acreditar que será feliz na mediocridade do seu egoísmo. Mentiroso é aquele que não vive de acordo com a sua verdade e que por isso não vive em paz.
Paz é tudo aquilo que vem da verdade.