sexta-feira, 24 de abril de 2009

Poema de mim...para mim.

Se ao olhar para o meu céu
Não vislumbrar o meu chão,
Se ficar indiferente
À voz do meu coração...
Se ao tropeçar na injustiça
Não gritar enfurecida
Até já não ter mais voz...
Se ao decidir pelo "eu"
Me esquecer que existe o "nós"...
Se não sentir com certeza
Que um abraço verdadeiro
É o rosto mais fiel
Da verdadeira grandeza...
Se aquilo que me estremece
Me já não fizer chorar
E aquilo que me indigna
Me fizer paralisar...
Se eu deixar de entender
Que tudo o que hoje me dói
É parte da poesia
E da luz que me constrói...
Se trocar o que acredito
Por aquilo que lá fora
Dizem ser "o mais bonito"...
Então eu não serei mais
Que uma vaga sombra triste
Daquilo que fui um dia,
Do que hoje em mim existe.
Fabi

3 comentários:

Figuinho disse...

Lindo!

Joana disse...

Não vou comentar para depois não te queixares :')
(Não tomes isto como um comentário)

Fabi disse...

Joaninha... =) sabe bem pensar que te emocionas com isto...porque isso significa que concordas com estas coisas...e que ainda há esperança para isto tudo!