sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Desabafo

Acho que não gosto de demasiada arrumação. Acho que a confusão é para mim mais estimulante, mais surpreendente, mais criativa...Mas a verdade, é que quando me deparo com vidas, ideias e planos muito arrumadinhos, fico sempre aflita e a julgar-me uma anormal. É porque eu, nunca consegui arrumar-me. E preocupa-me bastante andar confusa a vida inteira. Mesmo que a vida inteira, signifique uma vida com apenas vinte e seis anos. Por isso, às vezes penso em vidas arrumadíssimas, impecavelmente pensadas e organizadas, cheias de planos vincados a ferro a vapor e de certezas polidas e brilhantes, e ao olhar para as minhas confusões, dúvidas e incertezas poeirentas, apetece-me bastante abrir um buraco e enfiar-me lá dentro. E depois, sinto-me complicada e estranha e acho sempre que vou chegar a "lugar nenhum" que é o lugar onde chega quem não sabe onde quer chegar exactamente.
E pronto...é isto. 

5 comentários:

Joana disse...

Não penses assim. A vida extremamente planeada é uma seca! É preciso um bocadinho de tudo. E tu vais chegar sempre a algum lugar bom porque tens quem te guie na tua caminhada! :D

Dulce disse...

Não sei se te dou uma boa ou uma má notícia: aos 45 anos eu ainda sou assim. Já tive mais esperança de que isso mudasse. Mas "lugar nenhum" até é um sítio fixe onde chegar.

Fabi disse...

Joana...assim espero =)

Dulce...também não sei se a notícia é má...porque não sei até que ponto me ia dar bem com uma vida arrumadinha. Por enquanto, vou aguentando como posso.

Briseis disse...

Ai, que horror... Nada disso! Desarrumação é uma coisa maravilhosa! atenção para não confundir desarrumação com desorganização.
Quando uma coisa está arrumada, basta um cabelinho sair do sítio para alterar tudo e isso é a frustração total! Quem tem a vida arrumada não tem espaço para mais nada, nem para o imprevisto.

Fabi disse...

oh Briseis...não tinha pensado nessa diferença entre organização e desarrumação. Gostei.