segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Cansaço

O amor é um risco permanente. Não dá para amar sem que isso interfira violentamente com a nossa vida calma . Com o nosso descansinho acolchoado. Com os nossos dados adquiridos. Amar é violento. Dói. Massacra. Amar põe-nos a pensar e arranca-nos o sossego. Amar magoa como quem anda descalço num caminho de pedrinhas. O amor não é coisa para meninos. É coisa para durar uma vida inteira de apertos no peito e lágrimas contidas. Atrás dos muros do egoísmo, ama-se excessivamente pouco. E as vidas parecem bonitas e tranquilas como um pôr do sol. Mas o amor não é como um pôr do sol. O amor é como um tornado que arranca as árvores pela raiz e deixa as cidades em estado de sítio. 
O amor é uma invenção que tem tanto de genial como de terrível. E cansa. O amor é difícil. Não venham com histórias. Não venham com eufemismos. Por favor...O amor é terrível! E se for de outra maneira, é porque não é amor. É talvez uma alegria boa atrás dos nossos muros (...)

2 comentários:

Nefertiti (Daniela Rico) disse...

Concordo plenamente contigo Fabi...com todas as letras...
E neste momento, quanto queria eu aquela calma "acolchoada" eheh; é incrivelmente bom e incrivelmente doloroso... ai o Ser Humano!

fabi mourinho disse...

Fico feliz por não estares acomodada nessa calma =) é bom sinal...