segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Porque acredito

É porque a minha humanidade precisa de Alguém que a entenda, que a conheça e que a aceite. É uma dádiva, concordo. Mas é também uma necessidade. E não tenho problema algum em afirmá-lo. Acredito, porque preciso de acreditar. Porque me acho maior do que esta escuridão que vejo amiúde. Na verdade, acho-me maravilhosamente bem pensada ainda que, tantas vezes, pequena e miserável. 
Preciso de acreditar para que tudo possa ter um sentido, diferente do sentido material e fugaz que o engenho humano consegue desenhar. Quem vive à margem do infinito, talvez consiga ter dias mais alegres e vidas mais sossegadas. Viver para lá do aqui, implica sempre renúncia a algumas coisas. Mas eu não sei não acreditar. E se algum dia acontecer ser-me tirada essa dádiva, farei de tudo para recuperá-la, ainda que, para isso, a minha vida tenha de ser menos sossegada e os meus dias, menos alegres. 
É que a minha humanidade precisa desse Alguém que a entenda. E isso, ninguém o consegue em absoluto, a não ser O Absoluto em Quem eu preciso de acreditar. 

5 comentários:

Dulce disse...

"Faz bem ao Infinito estar entre gente." Alexandre O'Neill

Briseis disse...

Pode ser um motivo errado e egoísta mas é precisamente por isso mesmo que eu acredito: porque preciso. Porque,se não acreditasse, todas as vezes em que caí e sofri e chorei e pedi seriam solitárias. E todas as vezes que fiz o Bem, seriam em vão.

Fabi disse...

Bonito Dulce...obrigada =)

Sim Briseis...é exactamente isso. Obrigada =)

GILBERTO MORAIS disse...

Eu acredito que sou um ser melhor , justamente por acreditar.. e que quando deixei de acreditar a minha vida perdeu o encanto , até voltar a reencontrar o dom de acreditar.

Fabi disse...

Sim Gilberto..sem dúvida que sem a consciência de Deus, a vida perde o encanto. Obrigada =)